taz_

Atividades contarão com a participação do Grupo Engasga Gato e terão como proposta democratizar o uso do espaço da cidade. Todas as performances são livres.

O Núcleo Confluências de Ações Performativas está se preparando para mais uma ação que vai interagir com o espaço público do Centro de Ribeirão Preto, além de seus moradores e visitantes. A atividade será realizada por 78 horas ininterruptas, no calçadão central, em frente à sede do Grupo Engasga Gato. Ao todo acontecerão 65 ações performático-coletivas e individuais que serão realizadas das 23h58 do dia 6 de outubro e seguem até às 8 horas do dia 10 de outubro.

A ação foi batizada de TAZ – Zona Autônoma Temporária, pois se define como um grande levante popular que visa inflar e questionar o funcionamento condicionado da sociedade mercadológica. A proposta do movimento é buscar a confluência entre a vida que perpassa a cidade e seus usuários.

Segundo Fausto Ribeiro, coordenador do Confluências, as temáticas abordadas giram em torno da  “liberdade e a possibilidade de uso e ressignificação do espaço urbano para uma busca maior de afetos e pertencimento aos locais públicos e não institucionalizados”.

Ao todo são 25 pessoas envolvidas nas atividades. “Busca-se na criação de uma zona autônoma, uma certa forma de parceria entre aquelas atividades ou ações que estão cercadas por paredes ou pelo mercado de ordem capitalista e colocá-las nas ruas e praças. Deixar a amostra o nós é de direito como cidadãos”, explica Fausto Ribeiro.

A proposta é questionar o funcionamento condicionado da sociedade mercadológica. Para isso, a ação pretende unir diferentes formas de pensamentos em sua maioria questionadores da lógica capitalista, para se aprofundar e trazer às ruas conteúdos pouco explorados e de extrema importância para o ambiente urbano da cidade.

Anúncios

engasgagato_2016Direção de espetáculos, solos e experimentações artísticas, assim como direção técnica e dramaturgia são algumas das parcerias que os atores possuem em andamento.

O encontro com diferentes olhares e fazeres artísticos proporcionado pelo intercâmbio cultural é uma característica marcante do Grupo Engasga Gato. Como parte da busca pela pluralidade artística e o aprofundamento do trabalho do ator, os membros do grupo participam de trocas artísticas com direção de espetáculos, solos, experimentações performáticas, dramaturgia e outras colaborações com grupos e artistas locais.

O ator, diretor e produtor Fausto Ribeiro assina a direção da peça-experiência “Soturnos e Latindo Alto”, do Grupo Os Profiçççionais, que estreou em agosto,  em Ribeirão. Fausto ainda participa como diretor do processo criativo do Solo “Palavras de Indyra para uma árvore” com a atriz Aline Neli, do espetáculo “PIADA” do Grupo Qapla e do curta- metragem “MIRINMIM”, todos com estreia prevista para este ano. No documentário, que propõe a investigação da questão da loucura e as fricções que a normatividade impõe à sociedade contemporânea, Fausto exerce o papel de diretor.

A performance “Sonhos e Ossos”, com estreia marcada para o próximo dia 16 de setembro, na Área de Convivência do Sesc Ribeirão, conta com a colaboração da atriz Monalisa Machado. Dançado por Antônio Versolato, o trabalho envolve questões como o fim dos sonhos, a expectativa entre a vida e a morte, a dúvida ente o “eterno retorno” e a transcendência.

A atriz ainda atua como diretora e dramaturgista do espetáculo “Insolúvel”, nova montagem da Cia. Tertúlia. A peça estreia dia 13 de outubro, as 19 e 21h, no Galpão do Sesc Ribeirão, e aborda as relações amorosas em nosso tempo moderno e líquido, e a maneira como somos influenciados pela rapidez de informações e possibilidades infindas de redes proporcionadas pelo mundo virtual quando estabelecemos, ou pretendemos estabelecer, relações amorosas.

“O intercâmbio artístico sempre foi forte característica do Engasga Gato, seja ele em processos de montagem ou projetos culturais, o que além de alimentar as partes envolvidas, contribui muito para a cultura local”, comenta Monalisa.

Outro projeto que conta com a colaboração de alguns membros do Engasga Gato é o Núcleo de Pesquisa Confluências, que tem foco no teatro de invasão e realiza trocas e ações entre os participantes. Atualmente, segue em processo de realização a experimentação cênica-musical-performática “Peça-Batalha”, que conta com a participação de Álvaro Cherubini, Gabriel Galhardo, Fernanda Sotto e a Banda DRESDEN.

Revirarua_oficina de brinquedos

Contação de histórias, intervenções urbanas, espetáculos e cortejo musical integram programação, que acontece nesta sexta e sábado, 5 e 6 de agosto, no centro da cidade.

Ocupar o espaço urbano e público para celebrar as diversas linguagens da arte. Este é o intuito do Revirarua, que está na segunda edição e é promovido pelo Grupo Engasga Gato, por meio do Projeto Telhado Cultural. Nesta sexta e sábado, 5 e 6 de agosto, acontecem variadas atividades gratuitas na sede do Engasga Gato (localizada no Edifício Diederichsen), no Calçadão Central da cidade e na Praça XV de Novembro.

O espetáculo “Ofélia Hamlet Rock Machine”, da Cia Teatro de Riscos, abre as atividades na sexta-feira, às 20h. A peça será apresentada na sede do Grupo Engasga Gato, no último andar do Edifício Diederichsen. A adaptação do dramaturgo alemão Heiner Muller, é uma desconstrução da peça shakespereana. O texto nos apresenta um protagonista agoniado não tanto pelo assassinado de seu pai, mas pela urgência de revolução que vem das ruas. A Ofélia de Muller também confronta sua imagem clássica, ao invés de fragilizada, vemos uma figura feminista, que escancara ao mundo a sua revolta, seu estupro e assédio.

Já no sábado, o Projeto Toque da Lata abre as atividades às 9h30 e circula pelo Calçadão Central com o show “Batendo na lata, sambando no pé, driblando do caos com a fé”. Além disso, o centro receberá contação de histórias com as atrizes Fernanda Soto e Poliana Savegnago e a oficina “Construção de brinquedos com elementos reutilizáveis” com o Grupo Engasga Gato. Para encerrar o dia, o De Lucca Circus apresenta, às 11h30, “O Espetaculável Mundo de De Lucca”, que irá transportar o público para um mundo repleto de mágica, equilibrismo, música e malabarismo.

“O Ravirarua ajuda a tornar a arte, em todas as suas linguagens e formas de expressão, mais próxima do público em um espaço que, muitas vezes, é hostil como o meio urbano. Ocupar a rua e ‘rivirá-la’, despertando a curiosidade nas pessoas e a atenção para o espaço público, é também um caminho para a democratização cultural”, comenta Monalisa Machado, do Grupo Engasga Gato.

Confira nossa programação completa na nossa agenda!

A apresentação, que será aberta ao público e gratuita, acontece no dia 5 de julho, às 17h, no Calçadão Central da cidade.

Terno, gravata, o ar-condicionado frio e sufocante, uma sala pequena e um sistema nonsense que aliena seus funcionários, fazendo-os copiar palavra por palavra, vírgula por vírgula. A quebra nesta rotina opressora é o start para o espetáculo “Página 469”, do Grupo Engasga Gato, que conta com direção de André Carreira. A peça terá única apresentação no dia 5 de julho, às 17h, no Calçadão Central de Ribeirão Preto.

O espetáculo “Página 469” surgiu a partir de um intercâmbio realizado entre o grupo de teatro, o diretor André Carreira e o dramaturgo André Felipe. Este encontro deu fruto a uma pesquisa cênica que considera a Cidade com Dramaturgia e propõe um jogo em trânsito com os espectadores. “O público muitas vezes não está certo do que acontece durante a apresentação, pois os atores estão em constante interação com quem passa, perguntando aos passantes por ajuda. É interessante como o “Página 469” toma a rua como matéria do próprio espetáculo”, explica Douglas Pires.

A peça inicia com uma ambulância rompendo o espaço público. De dentro dela, saem três integrantes cegos da “Liga Pública do Bem”, que tem a missão de encontrar e readequar funcionários municipais dissidentes. Guiados por uma denúncia anônima, os três enfrentam o caos do centro urbano em busca de Getúlio, um funcionário que abandonou seu posto de trabalho há alguns anos, fugindo da opressão de sua pequena salinha. A trama acaba envolvendo os espectadores num jogo de esperanças e tristezas, neste encontro entre figuras que refletem as invisibilidades que atravessam diariamente o espaço da cidade.

Os interessados em conhecer mais sobre invasões cênicas e a ideia do teatro na rua poderão ainda participar de uma oficina ministrada pelo diretor do espetáculo “Página 469”, André Carreira. A oficina “A Cidade como Dramaturgia” é gratuita e acontece nos dias 23 e 24 deste mês, na Sede Engasga Gato, localizada no último andar do Edifício Diederichsen.

Participe!!

Feliz Ano Novo_Ribeirão Preto

Com foco na interação entre o indivíduo e o espaço, o núcleo é aberto ao público e se reúne todas as terças-feiras na sede do Grupo Engasga Gato

O ator e a rua. É dessa interação, a princípio simples, que o Núcleo de Pesquisa Confluências se baseia para compreender os fluxos urbanos, transformar o olhar sobre o espaço público e democratizar o acesso à cultura. O grupo se reúne todas as terças-feiras na sede do Engasga Gato, no edifício Diederichsen, centro de Ribeirão Preto. Atualmente, o núcleo conta com 12 membros fixos, porém a participação é aberta a todos interessados.

Segundo Fausto Ribeiro, coordenador do núcleo, a iniciativa tem como foco o teatro de invasão e propõe em suas apresentações ressignificar o centro. “O Confluências surgiu há cinco anos como um grupo de pesquisa de artes cênicas e, desde então, sempre buscamos trocar experiências nas diversas linguagens cênicas e transformar o olhar sobre o nosso lugar no centro da cidade”, comenta.

O espetáculo “Feliz Ano Novo”, que conta com a direção de Fausto, é um exemplo dos trabalhos que surgiram a partir das ações e trocas realizadas no núcleo de pesquisas. A intervenção questiona os valores e pudores dentro do local de consumo. “O centro da cidade nos proporciona uma diversidade incrível de público e a intervenção Feliz Ano Novo provoca reações diferentes, pois provocamos o público, transitando entre o real e o ficcional”, afirma.

No próximo dia 21 de junho, acontece uma apresentação do espetáculo via o Projeto Casa das Artes, com a participação do Grupo Engasga Gato. A intervenção será no Calçadão Central da cidade, na rua Álvares Cabral, às 17h.

Os alunos e profissionais de artes cênicas, arquitetos e demais interessados em participar do núcleo de pesquisa Confluências, basta comparecer às terças-feiras, das 17h às 20h, na sede do Grupo Engasga Gato.

Até dezembro, o projeto irá promover atividades como oficinas, espetáculos em diversas linguagens e intervenções urbanas

O Grupo Engasga Gato lança neste mês o Projeto Telhado Cultural, contemplado pelo Edital ProAC de Apoio a Projetos de Território das Artes (Espaços Independentes) no Estado de São Paulo. Com duração contínua de 8 meses, o projeto busca ampliar a pluralidade das ações desenvolvidas na sede do grupo, por meio de uma programação integrada por espetáculos de diferentes linguagens artísticas, continuidade do núcleo de pesquisa, oficinas intensivas e extensivas, intercâmbios, abertura do espaço para residências de artistas e a publicação de um material de registro desta realização.

Todas as atividades acontecem na sede do Grupo Engasga Gato, localizada no último andar do Edifício Diederichsen, no centro de Ribeirão Preto, e em espaços públicos como as praças XV de Novembro e Carlos Gomes.

O lançamento oficial do projeto será no dia 14 de maio, sábado, às 9h30, no calçadão central da cidade. O dia contará com diversas atividades livres e abertas ao público. “Dar continuidade às ações de democratização do acesso à produção cultural desenvolvidas pelo Engasga Gato e fomentar a formação de público são alguns de nossos objetivos. O projeto é, principalmente, uma maneira de estimular um novo olhar da população sobre a cidade, seus equipamentos culturais e o fazer artístico da mesma”, comenta Fausto de Lima Pereira Ribeiro, responsável pelo projeto.

Desde 2009, o Grupo Engasga Gato desenvolve as atividades do espaço Telhado Cultural, que envolvem produção, formação e difusão, por meio de oficinas, intercâmbios, ensaios e apresentações de espetáculos próprios da companhia e parceria com grupos de todo o país. “Aproximadamente, contamos que mais de 200 mil pessoas foram impactadas e cerca de 150 grupos de teatro ou artistas se apresentaram em nossa sede ou participaram de algum intercâmbio cultural conosco”, estimula Fausto.

Neste mês, o projeto traz diversos espetáculos e oficinas de artes cênicas e visuais, promove o primeiro encontro do intercâmbio entre o Grupo Engasga Gato e o artista Kleber Lourenço, além de retomar o ‘Confluências’, núcleo de pesquisa e experimentações em técnicas interpretativas e procedimentos de encenação que envolvem os espaços urbanos.

Casa Branca, Catanduva, Ibirá, Igarapava, Lencóis Paulista, Porto Ferreira, Sertãozinho e Tambaú receberão espetáculo e atividades gratuitas

Em homenagem ao centenário do poeta Manoel de Barros (1916 – 2014), o grupo de teatro Engasga Gato dá vida ao mundo lúdico e curioso da infância retratada pelo escritor com o projeto “Circulação João de Barros: Cem anos de Manoel”. O grupo vai realizar intervenções urbanas e apresentações da peça infanto-juvenil “João de Barros: mais uma brincadeira poética” em oito cidades do interior paulista, com o objetivo de viabilizar o acesso da população à arte teatral. Tambaú, Casa Branca e Sertãozinho receberão as atividades neste mês de abril, nos dias 22, 23 e 27 respectivamente.

Além do espetáculo gratuito, o público vai poder participar de uma intervenção urbana realizada em um espaço público e de fácil acesso em cada cidade.  A intervenção poética “Oficina desregular a natureza” vai realizar uma instalação de objetos no espaço público, com criação de brinquedos populares e brincadeiras relacionados ao universo do poeta.

“Manoel de Barros é considerado o poeta das insignificâncias por comunicar em suas poesias o mundo da infância com imagens simples e profundas, como insetos que se arrastam ou um menino que carregava água com uma peneira. É esse universo que o Grupo Engasga Gato deseja recriar e oferecer um grande divertimento para crianças de todas as idades”, comenta Monalisa Machado, integrante do grupo .

As cidades escolhidas para receber o projeto fazem parte das memórias de infância de cada um dos integrantes do grupo. Todas as apresentações são gratuitas e abertas ao público geral.

O poeta Manoel de Barros nasceu em Cuiabá-MT, em 19 de dezembro de 1916. Formou-se Bacharel em Direito no Rio de Janeiro, onde publicou seu primeiro livro “Poemas concebidos sem pecado”, em 1937. Foi autor de mais de 20 obras poéticas e agraciado com diversos prêmios durante sua vida, dentre eles: o “Prêmio Orlando Dantas” (1960), o Prêmio da Fundação Cultural do Distrito Federal (1969) e o Prêmio Cecília Meireles (1998).

Sobre o Grupo Engasga Gato

O Grupo Engasga Gato, por essência, busca a pluralidade artística e o aprofundamento do trabalho do ator. O Grupo foi formado em 2007 e hoje conta com seis membros que desenvolvem processos artísticos de diferentes segmentos das artes.

Mais informações na página do Facebook www.facebook.com/engasgagato/  ou pelo telefone (16) 3234-4860.